04/07/2016 às 20:29

Às vésperas do fim do ano, intenção de consumo das famílias capixabas volta a subir








Acesso ao crédito, geração de emprego e renda e o salário extra contribuíram para elevar a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), que registrou 121 pontos em dezembro frente a 117 pontos no mês passado





As famílias capixabas recuperaram o otimismo em relação ao consumo em dezembro. É o que constata a pesquisa Intenção de Consumo das Famílias (ICF) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo (Fecomércio-ES). O índice cresceu 3,3%, registrando 121 pontos neste mês, frente a 117 pontos em novembro.

A pesquisa revela que o otimismo se deu principalmente em relação à compra de duráveis, à satisfação com emprego, ao consumo atual e a facilidade de acesso ao crédito. A combinação entre a proximidade do Natal, recebimento do 13º salário, crescimento da massa salarial e demanda de crédito em alta, também fez com que a população mostrasse mais força na intenção de consumo.

“O momento favorável do mercado de trabalho, com expansão na massa real de rendimentos, e o aumento no ritmo atual de concessão de crédito aos consumidores contribuem também para a melhora do indicador. Aliado a isso, as pessoas apostam no avanço da sua situação financeira em 2013”, diz o presidente da Fecomércio-ES, José Lino Sepulcri.
O avanço nos índices foi puxada pelas famílias com renda abaixo de 10 salários mínimos. Nesse grupo, a expectativa de consumo registrou 121,1 pontos, ante a 116,4 na comparação mensal, o que mostra o poder de ascensão de compra da classe. Por sua vez, nas famílias com renda acima de 10 salários mínimos a intenção de consumo recuou e passou de 123,9 pontos para 120,4 pontos neste mês, revelando um pouco de cautela da classe para lidar com os gastos de final de ano.
Volta do otimismo

Dois índices que em novembro estavam abaixo da linha de 100 pontos, que registra o otimismo do consumidor, voltaram a subir. A avaliação quanto ao nível de consumo atual, passou de 99,7 pontos para 105,1 neste mês. E a avaliação quanto momento para compra de duráveis, que em novembro marcou 96,1, registrou agora 100,8 pontos.

“Dezembro é um mês que culturalmente há aumento no número de vendas no comércio, devido à chegada do Natal e o pagamento do décimo terceiro. Com esse dinamismo as famílias aproveitam para ir às compras, adquirindo, principalmente, produtos de equipamentos duráveis”, revela Sepulcri.