04/07/2016 às 20:29

Confiança no comércio recua, mas expectativas futuras são boas



Apesar da leve retração de -1,3% na confiança do empresário do comércio capixaba, as expectativas quanto à economia e ao comércio avançaram

Os empresários do comércio iniciaram fevereiro menos otimistas. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo (Fecomércio-ES), recuou -1,3% neste período na comparação com janeiro. Em fevereiro, o índice somou 108,6 pontos, enquanto em janeiro eram 110 pontos.

A leva retração não alcançou as empresas de grande porte, que possuem mais de 50 funcionários. Nesta, o indicador ficou positivo, com avanço de 0,4% e 149,9 pontos. Já as empresas menores, com até 50 empregados, a confiança recuou -1,4%, totalizando 107,7 pontos.

Já o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) avançou em fevereiro. O indicador que calcula a expectativa do empresário quanto à economia brasileira, comércio e empresas comerciais cresceu 6,8%, chegando a 144,3 pontos, o que mostra um movimento maior nos próximos meses no comércio.

“O índice ainda negativo foi influenciado pelas percepções menos positivas quanto à economia e comércio atual. As empresas também estão receosas em relação aos investimentos. Contudo, a recuperação nas vendas em janeiro e fevereiro fez o empresário manter a expectativa de melhora para os próximos meses”, pontua o presidente da Fecomércio-ES, José Lino Sepulcri.

Retração

A queda na confiança do empresário do comércio foi incentivada pelo Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC) que recuou tanto nas pequenas quanto nas grandes empresas. O indicador recuou -9,5%, chegando a 103 pontos. Nas pequenas empresas a queda foi de -9,4% e nas grandes empresas -13,4%.

O Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC) também apresentou recuo e permaneceu abaixo da linha do otimismo, de 100 pontos. Em fevereiro, o índice marcou 78,4 pontos, uma queda de -3,4% na comparação com o mês anterior.

Grupo de Atividade

Na avaliação da pesquisa por Grupo de Atividade dois campos cresceram e um recuou. Em fevereiro, os grupos de não duráveis e duráveis registraram crescimento, respectivamente, de 0,2% e 2,1%. Em contrapartida, o grupo de semi-duráveis recuou 4,8%. Os números revelam que mostrando que os empresários estão investindo em seu negócio, ainda que de forma moderada.